30.3.08

Estudantes realizam ato histórico e calam golpistas




Estudantes realizam ato histórico e calam golpistas


Nesta quinta-feira (27/03), a Jornada de Luta da UNE e da UBES levou mais de 20 mil estudantes para as ruas do centro de Manaus, em defesa do passe livre. Secundaristas de todas as zonas da cidade e universitários da federal (UFAM) e da estadual (UEA), além de três faculdades particulares, pararam o centro da cidade nesta que foi a maior manifestação popular da história do Amazonas.


Com concentração inicial na praça do Congresso, milhares de estudantes liderados pela União Municipal dos Estudantes Secundaristas (UMES) de Manaus, União dos Estudantes Secundaristas do Amazonas (UESAM) e União Estadual dos Estudantes do Amazonas (UEE-AM) deixaram em evidência, mais uma vez, o projeto avançado de passe livre.


De acordo com o presidente da UMES e representante da UBES no Estado, Yann Evanovick, o ato cumpriu as expectativas. "Conseguimos demonstrar a força da politização da juventude, uma vez que todos ali presentes sabiam o que estavam reivindicando. E, acima de tudo, ficou provado para todos que a sociedade quer a aprovação do passe livre", concluiu.


A proposta defendida pelo movimento estudantil é a mesma apresentada ano passado, que é de dar oportunidade aos estudantes optarem pelos 120 meios passes, conforme já vigora na cidade, ou 60 passes livres.


No entanto, houve uma novidade este ano. Para concretizar essa bandeira histórica, os líderes estudantis sugerem o seguinte encaminhamento: que o atual sistema do transporte coletivo custeie o que puder e o restante seja subsidiado pela Prefeitura da cidade e pelo governo do Estado.


Nas semanas que antecederam a atividade, foram feitas várias atividades de mobilização e palestras para esclarecer a proposta. No decorrer deste tempo, várias entidades do movimento social sinalizaram a favor dessa bandeira. Sindicato dos rodoviários, vigilantes, urbanitários, jornalistas, União Brasileira de Mulheres (UBM) União de Negros pela Igualdade (UNEGRO) e parlamentares como Lúcia Antony e Marcelo Ramos, ambos do PCdoB, colocaram seu apoio a favor dos estudantes.


O sucesso da atividade se revela, também, por outro fator. Desde o início da manifestação, um grupo de jovens pagos pelos vereadores que tentaram golpear os estudantes reduzindo a quantidade de meias passagens, duas semanas atrás, tentaram tumultuar a atividade. No entanto, foram isolados pelos policiais e ainda tiveram que ouvir vários gritos de ordem pela retirada deles das ruas.


Nenhum comentário: